sábado, 31 de outubro de 2009

LULA E CHÁVEZ NOITE SEM LEI SECA EM CARACAS


A BRUXA DO PT


“Em breve, a bruxa Petista poderá voar em sua vassoura estrelada e derramar a poção mágica sobre as cabeças de todos idiotas e assim seremos todos felizes sob o capitalismo humanizado do PT.”

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

AINDA DUVIDA DA EXISTÊNCIA DO PACTO LULA RECORD DILMA



TRANSNORDESTINA MAIS UMA MENTIRA DO GOVERNO LULA



É o caso de se repetir o velho chavão “me engana que eu gosto”. Tiraram o direito dos brasileiros do transporte por trilhos (com exceção das pouquíssimas exceções conhecidas). Em 1960 havia mais de 67 mil quilômetros de trilhos percorridos por bons e/ou maus trens, mas que lá estavam todos os dias, com todas as virtudes e defeitos que eles pudessem ter. Hoje, são apenas pouco mais de 29.798 quilômetros.

As estações ferroviárias tiveram um papel preponderante não somente no País, como em todo o mundo. Fundaram cidades, centralizaram a vida das povoações, serviram como agência de correios, trouxeram o progresso e foram em geral construídas com arquiteturas diferentes, desde as mais suntuosas até as mais simples. Porém, até os anos 50 eram em geral construções bonitas. Hoje em sua grande maioria abandonadas, somente permanecem ativas aquelas que se transformaram em estações de trens metropolitanos, as que se estão no caminho dos poucos trens turísticos e as poucas que são utilizadas como central de recebimento de cargas pelas atuais concessionárias das ferrovias.

Enquanto isso, diversos países do mundo, ricos e pobres, mantêm seus trens porque eles têm uma vital importância no transporte de grãos, minérios e pessoas, é preciso acabar com essa máfia de superfaturamento de operações tapa buracos que deu origem a personagens e onde fica a preocupação com meio-ambiente é as emissões de carbono dos caminhões.
Posição País Malha Ferroviária em km
1 Estados Unidos 228.464
2 Rússia 87.157
3 China 70.058
4 Índia 63.140
5 Canadá 48.909
6 Alemanha 46.039
7 Austrália 43.802
8 Argentina 34.091
9 França 32.175
10 Brasil 29.798


veja mais absurdos:
http://www.guialog.com.br/estatistica-transpo.htm

Transnordestina continua sem aporte de verba federal xto publicado em 23 de Outubro de 2009
  A Ferrovia Transnordestina continua sem liberação de recursos por parte do governo federal. Ontem, o governo publicou um decreto no Diário Oficial da União criando um adicional de R$ 1 bilhão para obras na área de transportes (incluindo rodovias federais) e não tinha um centavo sequer para o empreendimento. O decreto também cancelou R$ 1 bilhão de obras que estavam sendo feitas pelo Ministério dos Transportes. Em Pernambuco, a iniciativa retirou R$ 5,2 milhões que seriam usados na manutenção da BR-232, rodovia que liga o Recife a Salgueiro (no Sertão), passando por Caruaru. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério dos Transportes, a iniciativa foi apenas um remanejamento dos recursos de obras que não estavam andando num ritmo considerado mais avançado pelo governo federal.
Além de não ter recursos para a Ferrovia Transnordestina, o decreto publicado também retirou R$ 201 mil que seriam empregados em obras de manutenção da BR-110 nos trechos de Pernambuco.
Já as obras que ganharam recursos adicionais foram os trechos pernambucanos das seguintes rodovias federais: BR-423 – que terá R$ 3,1 milhões, BR-424, com uma liberação extra de 2,6 milhões, a BR-316, com uma liberação de mais R$ 1,2 milhão, a BR-428, com R$ 5 milhões.
Também ganharão mais recursos: a BR-104 (R$ 6 milhões), a BR-407 (R$ 1,2 milhão) e a BR-408 que vai receber mais R$ 3 milhões. Esses recursos serão liberados para fazer a manutenção dessas rodovias.
ESTAGNADA
Construída pela empresa Transnordestina Logística, a Ferrovia Transnordestina terá 1.728 quilômetros de extensão e vai ligar o Sul do Piauí aos portos de Pecém, no Ceará, e de Suape, em Pernambuco. O custo total do empreendimento é R$ 5,4 bilhões e pelo menos R$ 3 bilhões sairão de recursos públicos, como o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE). A empresa Transnordestina substituiu a antiga Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) – ambas dos mesmos donos.
Os recursos do FDNE até agora não foram liberados pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Um dos motivos do atraso na liberação dos recursos foi o fato de que a empresa não estava querendo apresentar garantias que comprometessem uma das principais acionistas da Transnordestina Logística, a Companhia Siderúrgica Nacional, que tem como um dos seus maiores acionistas, o empresário Benjamin Steinbruch.
Fonte: Jornal do Comercio

terça-feira, 27 de outubro de 2009

COMO SE COMPORTAR NUMA CPI


PESCA ARTESANAL NO BRASIL UM DESCASO GOVERNAMENTAL



A pesca artesanal no Brasil representa aproximadamente 55 % do peixe que é consumido internamente. Por tanto, o Brasil é verdaderamente un país da pesca artesanal. Apesar disso, historicamente muito pouco tem sido feito com relação às políticas públicas para este setor.Um dos mais graves indicios desta afirmação é a precariedade das estatísticas, que não estão estruturadas para realmente expor a realidade da pesca no Brasil, em especial a artesanal.Estima-se que existam no Brasil em torno de 1 milhão de pescadores que vivem diretamente da pesca, envolvendo em torno de 4 milhões de pessoas.


a pesca artesanal sempre foi relegada na formulação das políticas públicas no Brasil. Embora possamos afirmar que a pesca em si, enquanto setor econômico, nunca teve sua importância reconhecida pelos governos, a pesca artesanal sempre sofreu isso mais fortemente. A política mais recente para a pesca artesanal foi posterior ao Decreto 221 de 28 de fevereiro de 1967, chamado PescArt, que se constituiu num Programa de Apoio à Pesca Artesanal, envolvendo crédito e formação de cooperativas para venda do pescado, o Decreto 221, tentou  modernizar os pescadores “atrasados”, motorizando as pequenas embarcações, trocando as redes, que em sua maioria eram por eles confeccionadas, por fardos de panos de redes de nylon já trançados, e criando entrepostos que logo foram apropriados pelos atravessadores por conta da falta de preparo para que os próprios pescadores assumissem os empreendimentos. Isso gerou, em muitos casos, um endividamento dos pescadores, que foram relegados à mais profunda miséria. Agravado a isso, os incentivos fiscais oferecidos pelo Decreto 221 para as indústrias pesqueiras e armadores da pesca, saquearam o litoral e as áreas estuarinas, principalmente, restando aos pescadores as migalhas que sobravam, Aliado a isso, um forte processo de especulação imobiliária de faixas do litoral, advindo do Milagre Brasileiro na década de 70, expulsou os pescadores de suas praias e estuários, inviabilizado cada vez mais a pesca artesanal.


com a criação da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República – SEAP,  Esta Secretaria foi efetivamente criada no dia 01 de janeiro de 2003, data da posse, neste mesmo dia, do Ministro José Fritsch,Nunca o setor vibrou tanto. As esperanças de ver a pesca artesanal reconhecida como um setor economicamente importante para a nação,Com uma equipe técnica reduzida, um orçamento irrisorio e uma equipe dirigente para a qual em muitos momentos falta conhecimento do setor, a SEAP tem frustrado, em muito, as expectativas dos pescadores artesanais em ter suas reinvidicações atendidas.
Projetos estratégicos para a pesca artesanal como a extensão pesqueira, alfabetização, regularização profissional e aspectos relacionados aos benefícios sociais, não andam por total falta da compreensão política da sua importância, uma insensibilidade governamental com  influência direta na vida das comunidades pesqueiras.

Todos os desafios estão apurados e relatados, para que os pescadores consigam com sua dignidade  “viver da pesca”, como sempre fizeram, talvez essa depedência da pesca  incomode os parasitas de Brasília.

sábado, 24 de outubro de 2009

CAJU A FRUTA DO NORDESTE



O caju é considerado muitas vezes como o fruto do cajueiro, embora seja um pseudofruto. É constituído de duas partes: a castanha que é a fruta propriamente dita, e o pedúnculo floral, pseudofruto confundido com o fruto. Esse se compõe de um pedúnculo piriforme, carnoso, amarelo, rosado ou vermelho.

A Região Nordeste, com uma área plantada superior a 650 mil hectares, responde por mais de 95% da produção nacional, sendo os estados do Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia os principais produtores.

A importância social do caju no Brasil traduz-se pelo número de empregos diretos que gera, dos quais 35 mil no campo e 15 mil na indústria, além de 250 mil empregos indiretos nos dois segmentos. Para o Semi-Árido nordestino, a importância é ainda maior, pois os empregos do campo são gerados na entressafra das culturas tradicionais como milho, feijão e algodão, reduzindo, assim, o êxodo rural. Além do aspecto econômico, os produtos derivados do caju apresentam elevada importância alimentar. O caju contém cerca de 156 mg a 387 mg de vitamina C, 14,70 mg de cálcio, 32,55 mg de fósforo e 0,575 mg de ferro por 100 ml de suco, ajuda a proteger as células do sistema imunológico contra os danos dos radicais livres.


Conforme os trabalhos de pesquisa desenvolvidos pela Embrapa e por outras instituições de pesquisa, o pedúnculo de caju é rico em vitamina C, fibras e compostos fenólicos. Além do potencial vitamínico, estes compostos conferem potencial antioxidante à polpa do caju. Esta propriedade biológica está associada à prevenção de doenças crônico-degenerativas, como problemas cardiovasculares, câncer e diabetes, que avançam a cada ano, superando estatísticas e preocupando as lideranças governamentais da área de saúde.  A necessidade de aumento do consumo de frutas tem sido uma recomendação crescente da Organização Mundial da Saúde, visando à prevenção do desenvolvimento das doenças crônico-degenerativas. o caju é um forte candidato para acrescentar saúde, sabor e beleza na mesa tropical.. A colheita é realizada de agosto a janeiro.

So é uma árvore originária do Brasil, nativo da região litorânea. Suas folhas são eficazes na cicatrização de feridas.


Além de ser consumido natural, o caju pode ser utilizado na preparação de ração animal, sucos, mel, doces, passas, sorvetes, licores.


A castanha, depois de torrada, é utilizada como petisco, sendo exportada para quase todo mundo, A castanha verde é usada em pratos quentes.


O suco de caju é industrializado e muito apreciado em todo o país.


A casca do caju é usada no tratamento de afta e infecções na garganta. A madeira também é aproveitada na construção civil, carpintaria, marcenaria, etc.

aproveitem e coloquem na merenda escolar das crianças POLÍTICOS INCOMPETENTES   

MEU MODESTO PRESENTE DE ANIVERSÁRIO PARA LULA



Lula se pudesse deixar algum presente a você,
seria muita sobriedade não pela ausência de álcool mas na maneira de viver,
lhe mostraria todos os caminhos da justiça, honestidade e da sinceridade,
o acesso ao saber, a leitura, a música, e as artes, a religião de deus no coração,
a consciência de aprender tudo que lhe foi ensinado pelo tempo afora,
lembraria todos os escândalos que foram cometidos para que não mais se repetissem,
daria a capacidade de escolher novos aliados, novos rumos, e novos companheiros,
Deixaria para você, se pudesse, um indispensável desejo de admiração,
Além do pão, o trabalho, Além do trabalho, a ação,

E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
buscar no interior de si mesmo a  força para encontrar uma saída honrosa da presidência.

MEU PRESENTE SERÁ NENHUM POST NO TWITTER SOBRE LULA ATÉ O DIA DO SEU ANIVERSÁRIO 

QUAL SERIA O SEU PRESENTE DE ANIVERSÁRIO PARA O LULA COMENTEM

SUPER MOURA X SUPER SUPLICY


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O DIFÍCIL ATO DE PENSAR



O mais verdadeiro sábio é aprende que não sabe nada; então, por estar em busca do saber, o sábio torna-se pensante; reflete sobre tudo que é para refletir, questiona tudo que esta em desconforto, e desacomoda quem está acomodado.

Assim a filosofia se constitui e mostra como problematizadora de questões pertinentes, sendo essas de puro interesse do pensamento, mas não o pensamento medíocre, mal acabado, senso comum, mas sim pensamentos sinceros, complexos e de importância na vida do homem e na sua existência.

Pensar, é também um ato de esperança, que motiva as pessoas em seu íntimo, que revela dizeres da razão, que machuca e produz a angustia, é o que temos de imediato, pensamentos não fica parado no tempo.


Tudo isso é um pensar, uma busca de entendimento, um exercício, um olhar para dentro de si, uma forma de distinguir a verdade, pensamentos são soltos, são livres como a brisa do mar, sempre em constante movimento como ondas que vem e vão lavando a alma de forma constante, a constituir um presente, com um olhar no passado e um projeto no futuro.

o ato de pensar é uma herança Divina, ainda que surjam, em nosso íntimo, pensamentos inconfessáveis!

pensar com sabedoria nos liberta. a libertação pelo conhecimento será somente aquela que provier da Divindade, pois é aí que se encontra a verdade. Por isso, Cristo nos dizia: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará".

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

VIAGENS DO LULA SOMAM 11 VOLTAS AO REDOR DA TERRA



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou 480.883 quilômetros a bordo do avião da presidência até 2008, distância equivalente a 11,16 voltas ao redor do planeta pela linha do Equador. A estimativa é de reportagem publicada hoje no jornal O Estado de S. Paulo.
Desde que assumiu a Presidência, em 2003,  até 2007, Lula viajou 128 vezes para outros países, média de uma visita a cada 13,5 dias (foram 62 nações visitadas no período).Em média, Lula visita um país a cada dez dias entre 1º de janeiro e 25 de setembro de2007, período que já cumpriu no segundo mandato como presidente. Em 2007, ele esteve em 24 países diferentes, no total já são mas de 80 países.




  LINK DA NOTÍCIA

VIAJANDO ASSIM FICA FÁCIL SER POPULAR

LULA RECORD E DILMA UM PACTO DE PODER



Imagine um Pacto de Poder entre um político populísta com 80% de aprovação, um Bispo empresário com 50 milhões de fiéis e uma economista cheia de fé para dar, como ficaria o Brasil nas mãos desses senhores.

Ontem ficou fácil percebe isso pela linha editorial do grupo Record que talvez esse pacto  já tenha sido fechado, em menos de 24 Horas a programação da TV Record News  deixou isso bem claro fazendo entrevistas de assuntos de interesse do governo LULA na  segunda [19] a noite, o assunto foi a crise em Honduras, com uma bancada de entrevistados dirigida pró-lula, entre eles o deputado paulista Ivan Valente do Psol, mas com DNA claramente petista, inclusive fiz uma pergunta ao vivo lida pela metade, para os que não assitaram ao vivo os suas reprises ao prova do email no fim do texto, o segundo assunto foi a transposição das águas  do Rio São Francisco onde o apresentador Paulo Henrique Amorin entrevistou o pré-candidato ao Governo Baiano o ministro Gerdel Vieira fazendo mais elogios a Lula e Dilma do que falando da transposição, na segunda parte do programa na véspera da instalação da CPI do MST, o entrevistado foi o presidente do INCRA  Rolf Hachbart, admitiu que ainda falta infraestrutura nos assentamentos realizados pelo governo. A falta de estradas, energia elétrica e água encanada, por exemplo, são algumas das críticas dos assentados, que são amenizadas com liberações de volumosas verbas.


EMAIL PARA RECORD
de
OLIVACI JÚNIOR
para
entrevistarecord@recordnewstv.com.br

data
19 de outubro de 2009 22:50
enviado por
gmail.com

ocultar detalhes 19 out (1 dia atrás)

PORQUÊ ZELAYA VOLTOU JUSTAMENTE A HONDURAS PARA EMBAIXADA BRASILEIRA E NÃO PARA OUTRA EMBAIXADA, NÃO FICA DÍFICIL ACREDITA QUÊ O BRASIL NÃO TEVE PARTICIPAÇÃO SABENDO QUE ZELAYA VISITOU LULA E O BRASIL POUCO TEMPO ANTES DE RETORNA A HONDURAS

OLIVACI JÚNIOR  BLOG O PENSADOR SINCERO
FARMACÊUTICO-BIOQUÍMICO
NATAL RIO GRANDE DO NORTE

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

O GURI DO RIO PARTE 2



VEJA O VÍDEO O GURI DO RIO PARTE 1
http://olivacijunior.blogspot.com/2009/10/o-guri-na-olimpiada-do-rio.html

ZELAYA EM HONDURAS NA CASA DA MÃE JOANA E DO PAI LULA



O longo impasse a que chegou a crise hondurenha está, pouco a pouco, esvaziando a Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde o presidente deposto Manuel Zelaya está abrigado desde o dia 21. Há duas semanas, oito zelaystas deixaram a missão. Nos últimos sete dias, mais quatro abandonaram o barco. A estagnação das negociações somada ao "êxodo" da embaixada ameaçam retirar Zelaya do foco das atenções, sobretudo da mídia internacional.

Com menos gente e com a tendência de os jornalistas também partirem, o campo zelaysta começa a temer perder voz e, consequentemente, a capacidade de mobilização. Na medida em que os dias passam e a solução negociada para a crise parece mais distante, amplia-se a percepção, principalmente entre os repórteres, que o assunto começa causar um certo fastio - e, consequentemente, o desinteresse - em seus leitores e espectadores.


300 "hóspedes" estavam na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde que Zelaya chegou ao local,o governo de  Roberto Micheletti foram capazes de baixar a cifra, no fim de setembro, para pouco menos de 70 "hóspedes". Hoje, a lista de pessoas abrigadas soma 48 nomes, dos quais 6 são de repórteres de jornais e agências de notícia internacionais.


VAI FAZER UM MÊS DE ZELAYA NA EMBAIXADA BRASILEIRA VOCÊ VAI PAGAR ESSE ALUGUEL ? ZELAYA O PRIMEIRO INQUILINO DO MINHA CASA MINHA VIDA

sábado, 17 de outubro de 2009

CORRUPÇÃO IMPUNIDADE VIOLÊNCIA UMA MISTURA EXPLOSIVA


Impunidade, corrupção e violência andam juntas afirma Gilberto Velho



Para o antropólogo, faltam ao país homens públicos que dêem exemplo de ética e honestidade

O antropólogo Gilberto Velho diz que a sociedade brasileira vive num círculo vicioso, no qual a impunidade, a violência e a corrupção estão interligadas e disseminadas. Para ele, faltam ao país homens públicos que dêem exemplo de ética e honestidade.

Ao contrário, segundo ele, os governantes e as autoridades têm sido cúmplices da impunidade no país. Ele criticou o presidente Lula, por não ter condenado publicamente os acusados de corrupção em seu governo.

- O senhor já disse que a impunidade é uma das causas da corrupção no país. A corrupção também ajuda a manter a impunidade?

Impunidade, corrupção e violência caminham juntas, estão interligadas. A sociedade brasileira está impregnada desses três males. As pessoas que vivem de pilhar o país, de desviar dinheiro público, usam da violência para garantir seus esquemas ilegais, de saque da nação. Por outro lado, para que possam atuar, têm que continuar impunes.

- Como os corruptos conseguem se manter impunes e no poder?

Em termos antropológicos, o problema é que existem na sociedade brasileira grupos que ocupam posições-chave e que vivem do saque. Isso pode ter começado no Brasil Colônia, mas piora bastante em tempos mais recentes. Houve até momentos ou períodos da história em que havia, por razões institucionais ou pessoais, maior resistência contra a corrupção. Um exemplo é Dom Pedro II, pela posição que ocupava. Ele tentava dar um exemplo de honestidade, de ser contra a corrupção, o abuso do poder. Mas o saque aos cofres públicos é constante na história. Tem o caso das empreiteiras.

- Falando em empreiteiras, falta punição também aos corruptores?

Claro. Há grandes interesses econômicos em jogo. Qualquer grande empreendimento que se anuncie, aparece para esses grupos como oportunidade de lucro. Infelizmente, a corrupção, a predominância de interesses de pilhagem, a ausência de ética e de espírito público estão disseminados na sociedade.

- Voltando às empreiteiras, os esquemas que foram descobertos no governo Collor não foram desfeitos. As empreiteiras tinham papel fundamental no processo de corrupção, estavam infiltradas no Executivo, no Legislativo e no Judiciário. O PC Farias foi assassinado, a mulher dele morreu em circunstâncias estranhíssimas. Nada foi apurado até hoje. O Brasil está carente de homens públicos que sirvam de exemplo?

Existe uma crise generalizada. As nossas elites políticas estão desmoralizadas. Encontramos aqui e ali, no Legislativo, no Judiciário e no Executivo, alguns exemplos. Quando as pessoas não estão envolvidas diretamente em algum escândalo, são cúmplices da impunidade. Quando um governante deixa de investir em segurança, é cúmplice da violência. No Congresso, há uma ação corporativa de proteção, de tentativa de esvaziar as crises. No governo Lula, pessoas foram acusadas de corrupção e o presidente, em vez de condenar, passou a mão na cabeça delas. E agora ainda reclama que falam mal do Brasil no exterior.

DIA DO ENCONTRO ENTRE LINA E DILMA 9 DE OUTUBRO DE 2008


Em agosto passado, primeiro numa entrevista e depois em depoimento no Congresso, a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira acusou a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, de tê-la convocado para uma reunião no Palácio do Planalto. 

Na conversa, a ministra teria pedido que Lina interferisse no andamento de uma investigação tributária que incomodava a família do presidente do Senado, José Sarney. Se comprovado, o encontro criaria sérios constrangimentos legais à ministra, pré-candidata do PT à Presidência da República. Dilma, porém, sempre negou com veemência a existência da reunião. A ex-secretária, por sua vez, nunca apresentou provas convincentes, além do próprio testemunho, de que a conversa realmente existira. O dia? Lina não se lembrava. O mês? Lina dizia que fora próximo ao fim de 2008, talvez em dezembro. 

Quando questionada sobre a imprecisão, justificava afirmando que todos os detalhes estavam registrados em sua agenda pessoal. E a agenda? Perdida em meio a uma infinidade de documentos empilhados quando de sua mudança de Brasília para Natal, onde mora. Dois meses após deixar todas essas perguntas no ar, a agenda que pode ajudar a aclarar o caso finalmente apareceu - e, segundo Lina, mostra o dia, a hora e o assunto tratado no encontro com a ministra-chefe da Casa Civil. A ex-secretária da Receita fez uma anotação a mão em 9 de outubro de 2008, logo em seguida à reunião com Dilma. Ela escreveu: "Dar retorno à ministra sobre família Sarney". De acordo com um amigo de Lina, a quem ela confidenciou ter achado a agenda, bem como detalhes ainda não revelados sobre o encontro, a reunião ocorreu pela manhã, próximo ao horário do almoço, fora da relação de compromissos oficiais da ministra. 

Convocada às pressas para a reunião, a ex-secretária conta que chegou a desmarcar o bilhete de um voo entre Brasília e São Paulo, emitido para o início da tarde de 9 de outubro, por causa da convocação inesperada. A passagem foi reemitida para as 19h30, quando Lina embarcou com destino a São Paulo. 

A ex-secretária também está de posse de outro documento que, acredita, pode esclarecer quem está falando a verdade. Trata-se de um CD-ROM com todas as mensagens eletrônicas trocadas entre ela e seus assessores durante os onze meses em que comandou a Receita Federal. Procurada por VEJA em Natal, Lina disse que a polêmica com Dilma produziu grandes transtornos a ela e sua família e que, por isso, não gostaria mais de se manifestar sobre o caso. "Agora eu só falo sobre esse assunto ao Ministério Público, caso seja convocada", afirmou. 

A descoberta da agenda de Lina acontece em um momento especial para a ministra Dilma Rousseff, que, com a saúde recuperada, volta a empinar sua candidatura à Presidência. Apesar de ainda patinar nas pesquisas, a ministra tem conseguido apoios importantes, resultado de sua dupla jornada como ministra e candidata à sucessão de Lula. 
Nos últimos dez dias, sempre fora de seu expediente como ministra, Dilma, a candidata, abraçou Jader Barbalho no Pará, discursou numa conferência do PCdoB na Bahia, seduziu PDT e PR em jantares individuais em Brasília e fez as últimas costuras em torno do anúncio, previsto para esta semana, no qual o PMDB vai declarar a intenção de apoiar sua candidatura à sucessão do presidente Lula. 
A candidata ainda arrumou tempo para ser homenageada em um culto evangélico em São Paulo e, quatro dias depois, tomar um banho de "axé" numa igreja da Bahia. A agenda de Dilma, a candidata, está cada vez mais parecida com a agenda de Dilma, a ministra. Na semana passada, ao acompanhar o presidente Lula em uma visita de três dias a Pernambuco, a ministra dormiu em um barracão, fez discursos exaltados e chegou a participar de "inauguração" até de auditório de canteiro de obra. 
A obra, a transposição do Rio São Francisco, teve apenas 15% de sua totalidade executada até agora. Ainda que a ministra não seja oficialmente candidata, a estrutura de sua campanha impressiona. Dilma já tem marqueteiro (João Santana, o mesmo de Lula), dois coordenadores de campanha (o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel) e um guru para a internet com fama internacional (Ben Self, uma das estrelas da campanha que ajudou a eleger Barack Obama presidente dos Estados Unidos em 2008). O estrategista informal é Fran-klin Martins, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação. O registro feito pela ex-secretária em sua agenda pessoal não é, obviamente, prova irrefutável de que a reunião realmente ocorreu e, consequentemente, de que Dilma não disse a verdade. 
Mas sua existência é um avanço considerável, sobretudo quando analisado em conjunto com informações já conhecidas. Na ocasião da denúncia, Lina chegou a ser desafiada por Franklin Martins, que a chamou de mentirosa. Em agosto passado, o senador Romero Jucá, um dos principais defensores do governo no Congresso, divulgou um relatório com as entradas oficiais de Lina no Palácio do Planalto. De acordo com Jucá, a ex-secretária esteve no Planalto quatro vezes - em outubro de 2008 e nos meses de janeiro, fevereiro e maio de 2009. O único ingresso registrado no ano passado, portanto, ocorreu em 9 de outubro, às 10h13.
Lina, segundo os registros oficiais, deixou o Planalto às 11h29 do mesmo dia. Na época, interessava ao governo divulgar a informação porque, embora afirmasse não lembrar com exatidão a data do encontro, Lina dizia que a reunião teria ocorrido no fim do ano, provavelmente em dezembro. A falta de registro de um ingresso de Lina naquele mês, portanto, seria um indício de que a ex-secretária mentia ao confirmar o encontro com a ministra. Agora, com o surgimento da agenda, e da anotação de que o encontro com Dilma ocorreu no mesmo dia 9 de outubro, a tentativa de desmentir a ex-secretária pode acabar confirmando sua versão.

NA PORTA DO INFERNO MINHA VISITA A UM BLOG PETISTA





LULA AMEAÇA "Ninguém vai sair do anonimato às minhas custas... essa história do sujeito aparecer no jornal criticando o Presidente vai acabar"

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2009/10/caravana-da-dilma.html 

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

PROJETO POLÍTICO DO LULA ATÉ 2057

MICHELETTI LEVA HONDURAS A COPA DE 2010



Honduras conquistou a última vaga da Concacaf para a Copa do Mundo de 2010. A seleção hondurenha fez sua parte, derrotou El Salvador fora de casa por 1 a 0, e contou com um empate heróico dos Estados Unidos contra a Costa Rica para garantir vaga na competição da África do Sul.

Pavon marcou o gol da vitória de Honduras, que se classificou pela segunda vez na história para o Mundial. A outra vez que os hondurenhos participaram de uma Copa foi em 1982. A conquista desta quarta-feira também trouxe um pouco de alento ao país, que passa por uma grave crise política.

Com a vitória desta quarta-feira, Honduras conquistou a terceira colocação das eliminatórias, com 16 pontos. Já El Salvador encerrou sua participação em quinto lugar, com oito.

A classificação hondurenha só foi possível graças ao empate da Costa Rica contra os Estados Unidos. Mesmo jogando em Washington, os costarriquenhos abriram 2 a 0 no placar, mas vacilaram no segundo tempo e, com um gol aos 49 minutos, permitiram que os norte-americanos igualassem o placar.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

AS 12 FACES DE UM PROFESSOR


PROFESSOR ARROGANTE
Ele se acha o detentor do conhecimento. Fala de si o tempo todo e coloca os alunos em um patamar de inferioridade. Ao menor questionamento, pergunta quantas faculdades já fez o aluno, se já escreveu algum livro, se já defendeu teses, para se mostrar superior. Gosta de parecer um mito; teima em propalar, às vezes inventando, os elogios que recebe em todos os congressos dos quais participa; conta histórias a respeito de si mesmo para mostrar quanto é competente e querido. Não gosta de ser interrompido, não presta atenção quando algum aluno quer lhe contar um feito seu. Só ele interessa; só ele se basta.
O que se pode dizer é que o professor arrogante tem uma rejeição a si mesmo e não acredita em quase nada do que diz. Como sofre, possivelmente, de complexo de inferioridade, precisa se auto-afirmar usando a platéia cativa de que dispõe: os alunos.

PROFESSOR INSEGURO
Tem medo dos alunos; teme ser rejeitado, não conseguir dar aula, não que ser ouvido porque acha que sua voz não é tão boa. Não sabe como passar a matéria apesar de ter preparado tudo; acha que talvez fosse melhor usar outro método; teme que os alunos não gostem de sua forma de avaliação. Começa a aula várias vezes e se desculpa, e pede ainda que esqueçam tudo, e recomeça. Tem receio de que os pais dos alunos não gostem de sua forma de relacionamento com eles, receia também a direção da escola, os outros professores e se vê paralisado, com seu potencial de educador inutilizado.
O medo de fato paralisa e dificulta o crescimento profissional. Apesar de ser um sentimento normal e freqüente, é preciso que seja trabalhado. Um ator quando entra em cena geralmente está tenso, nervoso, mas seu talento consiste em não transmitir essa sensação para a platéia. Ele precisa confiar no que está fazendo e superar a insegurança. Se o professor não acreditar no que diz, será ainda mais difícil ao aluno fazê-lo.

PROFESSOR LAMURIANTE
O professor lamuriante reclama de tudo o tempo todo. Reclama da situação atual do país, da escola, da falta de participação dos alunos, da falta de material para dar um bom curso, do currículo, das poucas aulas que tem para ministrar sua matéria. Passa sempre a impressão de que está arrasado e não encontrar prazer no que faz. Às vezes se aproveita da condição de professor e usa a turma para fazer terapia. Fala do filho, da filha, da empregada, da cozinheira, da ingratidão de amigos etc. Mais uma vez, se trata do abuso da platéia cativa.
A dignidade de um profissional é requisito básico para uma relação de trabalho. No magistério, essa norma é um mandamento, na medida em que o professor trata com pessoas em formação, que não são seus iguais em nenhuma hipótese.

PROFESSOR DITADOR
É aquele que não respeita a autonomia do aluno. Trabalha como se fosse um comandante em batalha; exige disciplina a todo o custo. Grita e ameaça. Não quer um pio, zela pela sala como se fosse um presídio; ninguém pode entrar atrasado nem sair mais cedo; ninguém pode ir ao banheiro, é preciso disciplinar também as necessidades fisiológicas. Dia de prova parece também dia de glória: investiga aluno por aluno, proíbe empréstimo de material, ameaça quem olhar para o lado. Tem acessos de inspetoria higiênica, investiga as unhas das mãos e os cabelos. Grita exigindo silêncio quando o silêncio já reinava desolado na sala.
O professor ditador está perdido na necessidade de poder. Poder e respeito não se impõem, se conquistam. Há determinadas práticas que se perpetuam sem razão; são contraproducentes e muito danosas para o aluno mas, principalmente, fazem muito mal ao professor que as revive.

PROFESSOR BONZINHO
Diferentemente do ditador, o bonzinho tenta forçar amizade com o aluno. Gosta de dizer quanto gosta dos alunos. Traz presentes, dá notas altas indiscriminadamente. Seus alunos decidem se querem a prova com ou sem consulta, em grupo ou individualmente, depois propala sua generosidade. Às vezes ainda tem a audácia de se comparar aos colegas, afirmando que os outros professores não fariam isso. Durante a prova responde as questões para os alunos, para que não fiquem tristes, para que não tirem nota baixa. Concede outra chance e dá outra prova para quem foi mal, idêntica à anterior só para tirar uma nota bem boa. Pede desculpa quando a matéria é muito difícil e só falta pedir desculpa por ter nascido.
A amizade também é um processo de conquista e esse professor acaba sendo motivo de chacota entre os alunos. Tudo o que vem dele parece forçado porque procede de uma carência de atenção e de uma necessidade infantil de aceitação.

PROFESSOR DESORGANIZADO
Esse aparece em aula sem a menor idéia do que vai tratar. Não lê, não prepara as aulas, não sabe a matéria e se transforma em um tremendo enrolador. Sua desorganização é aparente: como não faz planejamento, não sabe o tipo de tarefa que vai propor, então inventa na hora e na aula seguinte não se lembra de cobrar os alunos nem comenta sobre o que havia pedido. Como não sabe o que vai ministrar, põe-se a conversar com os alunos e a discutir banalidades. De repente, para dinamizar a aula, resolve promover um debate: o grupo A defende a pena de morte, o grupo B será contrário à pena de morte, sem nenhum preparo anterior, nenhum subsídio contra ou a favor.
O profissional precisa ter método. A organização é prova do compromisso que ele tem para com os alunos. A improvisação, muitas vezes necessária e enriquecedora, não prescinde do planejamento, como já dissemos.

PROFESSOR OBA-OBA
Tudo é festa! Esse tipo adora as dinâmicas em sala. Projeta muitos filmes, leva algumas reportagens; faz com que os alunos saiam da sala para observar algum fenômeno na rua ou no céu, fala em quebra de paradigmas, tudo conforme pregam os chamados consultores de empresas, mas sem amarração, sem objetividade. A dinâmica pode ser ótima, mas é preciso que o aluno entenda por que ele está fazendo parte daquela atividade. O filme pode ser fantástico, mas se cada dia vier um filme diferente e não houver discussão, aprofundamento, perde-se o sentido. Há aquele professor que gosta de levar música para a sala de aula, comentar uma letra da MPB ou explicar As quatro estações, de Vivaldi. É interessante, desde que não se faça isso sempre, porque os alunos sentem falta do nexo com a matéria que devem aprender. E o que deveria ser um elemento agradavelmente surpreendente se transforma em motivo de chacota.
Esse professor é bem intencionado, não há dúvida. Mas falta-lhe estabelecer com os alunos a relação desses jogos de sensibilização com o conteúdo da matéria que cabe a ele ministrar.

PROFESSOR LIVRESCO
Ao contrário do oba-oba, o professor livresco tem uma vasta cultura. Possui um profundo conhecimento da matéria, mas não consegue relacioná-la com a vida. Ele entende de livros, não do cotidiano. Além disso, não utiliza dinâmica alguma, não muda a tonalidade da voz, permanece o tempo todo em apenas um dos cantos da sala e suas ações são absolutamente previsíveis. Todos sabem de antemão como vai começar e como vai terminar a aula; quanto tempo será dedicado para a exposição da matéria, quanto tempo para eventuais questionamentos. Não importa se o aluno está acompanhando ou não seu raciocínio, ele quer dizer tudo o que preparou para ser dito.
Apesar de ter embasamento, dominar o conteúdo, é necessário aprimorar a forma, trabalhar com a habilidade da didática. Ensaiar mudança na metodologia. Às vezes, o professor livresco piora quando resolve inovar: leva um retroprojetor para a sala, e as lâminas contêm, transcrito, tudo o que vai ler em voz alta. E aquela aula se torna interminável e cansativa.

PROFESSOR "TÔ FORA"
Ele não se compromete com a comunidade acadêmica. Não quer saber de reunião, de preparação de projetos comuns, de vida comunitária. Nem festa junina, nem gincana cultural ou esportiva, nem festa de final de ano. Ele dá sua aula e vai embora. Muitas vezes é até bom professor, mas não evolui sua relação social nem o conteúdo interdisciplinar porque não está presente. Alguns são arrogantes a ponto de achar que não têm o que aprender, que estão acima dos outros professores e portanto não vão ficar discutindo bobagens. Outros estão preocupados com as lutas do dia-a-dia pela sobrevivência e como não estão ganhando para trabalhar em festas juninas, por exemplo, se negam a participar.
O processo educativo é comunitário. O bom ambiente escolar depende da participação de todos. A mudança dos paradigmas ocorre quando cada um dá sua parcela de contribuição e é capaz de permitir que o outro também opine, também participe. Ninguém é uma ilha de excelência que prescinda de troca de experiências.

PROFESSOR DEZ QUESTÕES
Para sua própria segurança, o professor "dez questões" reduz tudo o que ministrou num só bimestre a um determinado número de questões: dez, nove, 15, não importa. Ele geralmente passa toda a matéria no quadro-negro ou em forma de ditado. Quando há livro, pede que os alunos leiam o que está ali e façam resumo ou respondam às questões. Corrige, se necessário, questão por questão. Geralmente as questões não são relacionais, não são críticas. No campo das ciências exatas, o aluno deve decorar as fórmulas para a solução dos problemas. E no fim do bimestre o professor apresenta algumas questões que os alunos devem decorar para a prova. Em sua "generosidade" avisa que dessas dez questões vai usar apenas cinco na prova. Ou alunos decoram ou, se forem mais astutos, colam; acabada a prova, joga-se fora a cola ou joga-se fora da memória aquilo que foi decorado. No outro bimestre, como o ponto é outro, haverá outras dez questões para ser decoradas e assim sucessivamente: a aprendizagem não significou nada a não ser algumas técnicas de memorização e de burla.
É inadmissível que com tantos recursos à disposição um professor se sirva de técnicas antiquadas e sem sentido. Exigir que um aluno decore coisas cujo sentido ele nem percebe, que nem mesmo tornarão a ser mencionadas no decorrer dos estudos, constitui um absurdo que será antes de mais nada constatado pelo próprio aluno.

PROFESSOR TIOZINHO
"Tiozinho", no sentido depreciativo, é aquele professor que gasta aulas e mais aulas dando conselhos aos alunos. Trata-os como se fossem seus sobrinhos, quer saber tudo sobre a vida deles, o que fazem depois da escola, aonde vão, os lugares que freqüentam e emite opiniões em assuntos de cunho privado que absolutamente não competem a ele. O professor tiozinho de sente um pouco psicólogo também, e maus psicólogo, é claro. Começa desde logo a diagnosticar os problemas dos alunos e se acha qualificado para isso.
Geralmente conselho não funciona com aluno. O espaço que o professor dá é aquele que permite ao aluno sentir-se à vontade para conversar, nunca para que se sinta obrigado a expor sua vida privada em sala porque o professor quer ser um "tio" bom. E isso não muda comportamento; a amizade e a confiança não podem ser forçadas, nascem de um movimento natural de convivência saudável.

PROFESSOR EDUCADOR
O professor que se busca construir é aquele que consiga de verdade ser um educador, que conheça o universo do educando, que tenha bom senso, que permita e proporcione o desenvolvimento da autonomia de seus alunos. Que tenha entusiasmo, paixão; que vibre com as conquistas de cada um de seus alunos, não descrimine ninguém, não se mostre mais próximo de alguns, deixando os outros à deriva. Que seja politicamente participativo, que suas opiniões possam ter sentido para os alunos, sabendo sempre que ele é um líder que tem nas mãos a responsabilidade de conduzir um processo de crescimento humano, de formação de cidadãos, de fomento de novos líderes.
Ninguém se torna um professor perfeito, aliás aquele que se acha perfeito, e portanto nada mais tem a aprender, acaba de transformando num grande risco para a comunidade educativa. No conhecimento não existe o ponto estático - ou se está em crescimento, ou em queda. Aquele que se considera perfeito está em queda livre porque é incapaz de rever seus métodos, de ouvir outras idéias, de tentar ser melhor.


sábado, 10 de outubro de 2009

BYE BYE LULA

Oi, meu povão
Não dá pra enrolar muito não
Espera passar o mensalão
Assim que o escândalo passar
Eu acho que sarney vai ficar
Aqui tá fazendo calor
Deu pane no pac
Já tem oposição em natal
Tomei uma com julia em Belém do Pará
Puseram uma usina no mar
Talvez fique ruim pra tomar
Meu povão


No Tocantins
O tse cassou o chefe dos parintintins
Vidrou na minha coligação
Eu fiz uns esquema pra vocês
Eu fiz um lindo Brasil na tevê
Capaz de enganar
eu fico até rindo só
Oh, tenha fé em mim
Pintou uma chance legal
Um lance lá na capital
Nem tem que ter ginasial
Meu povão


No são francisco
O som é que nem os Bee zezes
Dancei com uma dilma feliz
Que tem um tufão nos quadris
Tem umas cpis atrás de mim
Eu vou dar um pulo em garanhuns
Aqui tá quarenta e dois graus
O sol nunca mais vai se pôr
Eu tenho vontade de beber

Saudades de roça e sertão
Bom mesmo é ter popularidade
meu povão


Baby, bye bye
Abraços na mãe e no pai
Eu acho que o mandato vai acabar
esse filme não vai enganar
Eu vou me mandar de carroça
nas olimpíadas de verão 
na Rua do Sol, Maceió
Peguei uma dengue em Ilhéus
Mas já tô quase bom
Em março vou pro Ceará
Com a benção do meu orixá
mas não acho ciro por lá
Meu povão


Bye bye, Brasil
A última ficha caiu
Eu penso em vocês night and day
Explica que tá tudo okay
Eu só ando dentro da lei
Eu quero dilma, podes crer
Eu fiz um Brasil na tevê
Peguei uma zika em Belém
Agora já tá tudo bem
Mas o mandato tá no fim
Tem umas Cpis trás de mim
Aquela estrela mudou
Na estrada que o mst fechou
Capazes de fazer um toró
Estou me sentindo um jiló
Eu tenho tesão é no bar
Assim que o mandato acabar
Bateu uma sede legal
não Tô a fim de encarar cpis
Com a benção de Nosso Senhor
eu nunca mais vou depôr

MÚSICA REAL


ESSE O BRASIL DO LORDE CIGANO E SALOMÉ QUALQUER SEMELHANÇA NÃO É MERA COINCIDÊNCIA
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bye_Bye_Brasil
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...